O uso de Design Thinking para RH

LinkedInFacebookTwitterGoogle+PinterestEmailPrint

Você conhece Design Thinking? Já pensou em usá-lo para o sucesso da sua empresa? A técnica pode ser aplicada em diversas áreas, e isso inclui a de RH. Ela pode servir para melhorar indicadores de engajamento, turn-over, hora extra e até novas formas de comunicação interna. A maioria das empresas, com pressa para resolver todos os problemas, acabam pulando etapas importantes e focando somente na solução. Dessa forma, as melhores ideias acabam não aparecendo. A base do Design Thinking consiste em ouvir, criar e implementar.

Inicialmente usado para a produção de objetos, o DT agora inspira a cultura corporativa. O foco a grandes experiências não pode estar só focado na área de marketing ou desenho, ela deve inspirar também as outras áreas da empresa. O ambiente dos negócios é tão volátil que muitas vezes a empresa precisam experimentar outros caminhos para sobreviver. E nada mais instável e enquita do que a área de RH.

Divergir e Convergir
Para que o DT funcione, primeiramente a empresa precisa estar aberta a mudanças e aceitar uma maneira não tradicional de resolver problemas. Também é importante existir trabalho em equipe multidisciplinar e a não limitação de pensamentos. O DT não utiliza o componente racional, e sim o visual e emocional. Por isso, são utilizados elementos mais criativos como gravuras, canetinhas coloridas e cartolina
A aplicação da técnica consiste em 4 passos, eles sempre vão alternar entre expandir e focalizar. Pegue seus post-its e mãos à obra!unnamed

 

Descobrir
Nessa parte é importante conhecer o problema. Para isso você tem que estar disposto a ouvir, seu principal aliado é a pergunta. Não esqueça de perguntar o “por quê”. No caso de uma empresa, o recomendável seria que ela pesquisasse sobre quem realmente utilizará o seu serviço, ou seja: o cliente. Já para o RH, esse cliente hora é a empresa e hora é o colaborador. Portanto, é indispensável que antes de qualquer coisa você mergulhe e conheça a fundo a realidade dos funcionários e o negócio da empresa.

Definir
Essa é a etapa que você sintetiza e analisa as respostas encontradas para chegar a definições. Para isso, você pode usar a ajuda de um mapa de empatia, ele te ajudará a montar uma hipótese de maneira coerente e fácil de compartilhar com a equipe. Projetos que contam com a participação e opinião dos usuários tem muito mais chance de sucesso. Por exemplo: se a empresa precisa escolher um novo uniforme para os funcionários, na maioria das vezes elas confeccionam sem levar em conta a opinião do colaborador. E muitas vezes, deveria se levarem conta aspectos essenciais como: conforto, atividade, clima do local e outras questões que somente quem utilizará diariamente o uniforme pode julgar.

 

MAPA DA EMPATIA

 

Desenvolver
Para ser assertivo é preciso estar atento nos princípios que devem ser levados em conta antes de começar a construir algo. Para isso, crie até 10 soluções que atenderiam as necessidades do problema, represente visualmente e nomine cada uma delas. Ideias malucas são bem vindas nessa fase! Por meio de votação, escolha as 3 melhores ideias antes de partir para a próxima fase. Nessa etapa, o RH não deve tomar uma decisão sozinho, é necessário envolver os gestores e outras departamentos para coletar os mais diferentes pontos de vista.

Entregar
Depois que a ideia se tornou algo real e tangível, é hora de testar na prática. Defina a jornada de testes e recolha feedbacks. Analise as experiências e cada momento de verdade da sua solução. Antes de implementar a mudança é importante testar! Alguns projetos afundam mesmo antes de começarem, sendo que com pequenos ajustes no piloto ele se tornaria viável. Para o RH, esse preceito vale por exemplo para treinamentos e avaliações de desempenho. Antes de implementá-lo, teste, verifique se funciona com uma pequena parcela antes de ampliá-lo para o restante da empresa.

Esse é o DT, enquanto diagramas com a jornada do cliente exploram o problema, protótipos se dedicam a soluções. A ferramenta já se tornou essencial para simplificar e humanizar os processos do dia a dia. Queremos sabem! Qual foi a sua experiência com DT? Conte para a gente e deixe suas dúvidas nos comentários. 😉

LinkedInFacebookTwitterGoogle+PinterestEmailPrint

Comentários

comentários

Os comentários estão desabilitados.