Porque você não deveria rejeitar um “pulador de empregos”

LinkedInFacebookTwitterGoogle+PinterestEmailPrint

Em nosso primeiro artigo  sobre o tema explicamos um pouco sobre quem são os “job jumpers”, e cinco razões pelas quais você não deveria descartar esses candidatos. Nessa matéria continuaremos abordando o tema, e vamos mostrar mais cinco novos motivos para você que está na dúvida em contratar um candidato com esse perfil.

1. “Job jumpers” são fáceis de recrutar
Muitos gestores rejeitam automaticamente os puladores de emprego, sem mesmo conhecê-los melhor. Então, se você não se preocupa com essa característica, deve considerar que a falta de concorrência pode significar que eles são muito mais fáceis de recrutar além de ter uma expectativa menos de salário do que outros funcionários de alta performance. Se você não insistir em questionar a respeito das mudanças de emprego, ele ficará surpreso e também mais propenso a aceitar a proposta.

2. Pense em um “job jumper” como alguém que passou por uma série de mudanças

É necessário considerar o salto de trabalhos como uma forma de desenvolvimento do candidato, assim como um job rotation interno dentro da empresa. Pense que cada vez que um Jumper conquistou uma nova contratação, ele é forçado a aprender rapidamente para absorver novas informações, competências e práticas. Na verdade, eles podem ser muito mais desenvolvidos do que os atuais funcionários da sua empresa que estabeleceram uma forma de trabalho e não foram desafiados a aprender rapidamente nos últimos anos.

3. Os custos com formação de “job Jumper” podem ser um mito

Muitos recrutadores erroneamente acreditam que vão perder o investimento em treinamento se contratarem um pulador de emprego. Porém, deve-se lembrar que esse tipo de funcionário não necessita de grandes investimentos. O fato que deve ser levado em conta é que os “job jumpers” passaram por diversos empregos, e não são novatos e não precisam de muitos treinamentos. Também pode se dizer que ele se transformou em um indivíduo que não requer muta atenção e administração, com sua vasta experiência em muitas áreas da empresa, os jumpers conseguem aprender em uma velocidade acelerada em relação aos demais funcionários.

4. Você quer funcionário leal, mas que saiba lidar com imprevistos

Alguns “job jumpers” acabam mudando de emprego ao verem que a empresa está afundando. Se o candidato estava em uma empresa e previu a queda eminente da mesma, você deveria valorizá-lo como candidato. Funcionários inteligentes são leias até um ponto, e não deveriam ser culpadas se tomarem a decisão de deixar a empresa prevendo o fracasso. Ser leal não significa ficar no Titanic até o final, e essa é uma característica que deveria ser valorizada em um profissional.

  1. Você não quer manter sua peça inovadora por um longo prazo.Você contrata um responsável por inovação baseado na premissa de que ele trará novas ideias para o seu negócio. Mas, infelizmente existem alguns inovadores que são responsáveis por produzir diversas “inovações” não tão inéditas assim. Eles podem ser mágicos de “um truque só”, e mante-los na empresa só vai gerar altos gastos. Então, se você contrata um “job jumper”, é provável que ele seja um inovador único, e o fato deles poderem sair da empresa após trazerem a novidade, não é um grande problema.

Em algumas empresas americanas, os “job jumpers” são muito bem vistos, já que esses indivíduos tiveram oportunidade de aprender e vivenciar em diversos ambientes. Esse acumulo de experiência traz uma visão macro do ambiente corporativo e ainda um jeito diferente na tomada de decisões. Um caso clássico de “job jumper” conhecido no mercado é Herb Greenberg, o jornalista investigativo hoje é sócio da empresa Pacific Square Research. No seu artigo “Confissões de um job jumper” (link) ele acredita e incentiva os “puladores” a mudarem de emprego caso não estejam felizes ou adaptados. Segundo Greenberg, o emprego não deve ser considerado uma prisão, mas antes de se demitir certifique-se de que você tem uma novo oportunidade e nunca feche as portas!  

 

Você já contatou um Jumper, ou se considera um? Conte para nós nos comentários como foi sua experiência!

LinkedInFacebookTwitterGoogle+PinterestEmailPrint

Comentários

comentários

Os comentários estão desabilitados.